domingo, 5 de agosto de 2007

Nos Altos da Serra da Mantiqueira

Para falar de Montanhas, é necessário conviver com elas, sentir o que realmente elas transmitem e saber qual a sua importância para nós seres humanos. Vivo hoje entre elas e passo a maior parte do meu tempo trabalhando e pensando nelas. Meu nome é Orlando, moro no sul de Minas Gerais em uma cidade chamada Itajubá, que na língua dos antigos nativos significava “águas que caem das pedras” (Ita-gyba). Por força do destino nossa cidade acabou sendo privilegiada pela localização, e está praticamente acomodada no coração da Serra da Mantiqueira.

Hoje, conheço muitas pessoas que fazem do Montanhismo o seu estilo de vida, por isso, venho aqui apresentar a vocês um pouco do que sentimos e presenciamos quando chegamos aos cumes das Montanhas mais altas do Brasil, que por nossa sorte estão logo aqui, na Serra da Mantiqueira.


O nome Mantiqueira se origina de uma transcrição do tupi para “Montanha que chora” (Manti-kir), devido à grande quantidade de nascentes, cachoeiras e riachos vistos em suas encostas. O nome dá uma idéia da grande importância da serra como fonte de água potável e na formação de rios que abastecem um grande número de cidades do Sudeste brasileiro. Seus riachos formam o Rio Jaguary, responsável pelo abastecimento da região norte da Grande Rio de Janeiro, o Rio Paraíba do Sul que corta uma região densamente habitada e altamente industrializada no eixo Rio-SP e o Rio Grande que é parte integrante do maior complexo hidroelétrico do país. Além da farta reserva de água, a Mantiqueira possui em sua extensão os mais altos cumes do Brasil onde podemos citar a Pedra da Mina (2.798m) rankiada como a quarta Montanha mais alta do brasil, o Agulhas Negras (2.787m) localizado no Paque Nacional de Itatiaia, o Pico dos Três Estados (2.665m) que faz a divisa entre Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.



Entre todas estas Montanhas da Mantiqueira, tenho um carinho especial por uma, o Pico dos Marins. Com 2.422m de altitude este pico já foi considerado o maior do estado de São Paulo, mas após feitas novas medições por especialistas, a Pedra da Mina tomou o seu lugar dentro do estado. O Pico dos Marins é uma Montanha já frequentada a muito tempo pelos aventureiros da década de 50. Temos registros de ascensões feitas em 1954, onde na época, este pico era almejado pelos desbravadores do Vale do Paraíba e Sul de Minas devido as belas formas de suas escarpas. Em seu maciço, elevam-se outros cumes magníficos como o Pico da Maria (2.356m), o Pico da Mariana (2.312m), o Pico do Marinzinho (2.393m) e o Pico do Itaguaré (2.308m). Estes cumes fazem parte de uma das travessias de Montanha mais lindas do Brasil, a Marins-Itaguaré, que hoje é frequentada por muitos amantes da aventura. Ela é grande responsável pela mudança da vida de muitas pessoas, pois há uma energia inexplicável naqueles que vão pela primeira vez em busca de uma experiência e um convívio diferente com o meio natural.


Pretendo apresentar neste espaço algumas imagens da Serra da Mantiqueira, ou melhor, da Mant-kir, e também descrever algumas aventuras e experiências que vivemos no Montanhismo e na Escalada dentro desta grande porção montanhosa do Brasil.




Grande abraço a todos e boas aventuras.

Orlando Mohallem.
16 / 07 /07

Um comentário:

Thaís disse...

É com muita honra que me sinto parte dessa história do montanhismo Itajubense, sendo praticamente ativa desde 2005 e praticante em potencial desde que nasci!!